terça-feira, 20 de novembro de 2007

Como foste parar a esse banco?

Quando me disse que estava internado no Magalhães Lemos não quis acreditar. Imagino-o sentado naquele Hospital. Um banco, o fumo do seu cigarro e alguns meses ainda por passar. Sem vida, sem o sorriso da sua filha e sem as pessoas que ama. Fiquei em pânico. Imaginar um amigo naquele local rodeado de um futuro incerto...talvez sem percepção. Os olhos dela enchiam-se de lágrimas enquanto me contava. E eu, sem reacção, perdida nas palavras, envolvida nos meus pensamentos, à procura de respostas para os ajudar. Isto mexe comigo. Sempre mexeu. Dentro de mim tudo gritava. O medo de poder caminhar para algo crónico, sem retorno, aflige-me. Como se a marcha atrás não existisse. Consumia haxixe desde muito novo. Hoje mais velho está sentado num banco de um hospital. Imagino-o a dizer: "Só consumo isto, drogas pesadas nem pensar, isto não faz mal a ninguém." Bastou-lhe esta droga leve para o deixar pesado provavelmente para o resto da vida. Diagnóstico: Psicose Tóxica devido ao consumo excessivo e prolongado de Cannabis. Duração: Incerta. Só depois de se suspender o consumo é que será possível diagnosticar uma doença psiquiátrica, como a esquizofrenia. Dói. E dói porque não acontece só aos outros. Como foste parar a esse banco? Ela falou-me na mudança dos teus comportamentos. Que já não te via. Que tinha medo de ti. Medo do teu novo eu. Pediste uma pistola com oito balas para matares cada um deles e em seguida matarias-te a ti próprio. Dizias que eras Deus. Cuspias no chão da sala dizendo que estavas no meio da rua. O haxixe deixou-te nesse banco. Ela visita-te todos os dias, tens uma grande mulher. Está assustada. O medo persegue-a...medo que não te tragam de volta. Esse banco onde te sentas pode dar-te uma grande lição. Pode ser o banco das oportunidades. A última oportunidade de voltares a viver são e consciente de ti.

[Retirado do Código de Barras, porque há palavras que precisam ser lidas pelo maior número de pessoas.]

* Dei por mim a realizar acções relativas a estas palavras muito semelhantes ao mais que tudo da bela autora deste texto... espero que esta coincidência não seja do teu desagrado "Fragmagens" :)

Um comentário:

meldades disse...

não sou a doutora nem o fragmagens, sou a tua irmã, a mais velha e queria dizer-te umas coisas mas tu hoje não apareceste no msn... é sobre um outro tipo de banco: o montepio... qd vieres à net dá-me um toque (não te esqueças que dou aulas e tenho curso). Fora isto apenas tenha a dizer-te que o burgas foi eleito president5e da a.e.!!! beijocas e sorrisos para ti))))))).